Tudo isso aconteceu graças ao poderoso telescópio Gravity, que está localizado no deserto do Atacama no Chile. Com ele foi possível capturar as primeiras imagens do centro da Via Láctea e do seu buraco negro supermassivo, que a milhares de anos faz tudo acontecer de maneira ”natural” no sistema solar.

Confira uma animação do centro da Via Láctea

Embora há anos não se saiba bem ao certo a localização desse buraco negro, só agora o novo telescópio do ESO (Observatório Europeu do Sul), conseguiu captar de maneira precisa os objetos astronômicos, é possível observar na imagem os campos gravitacionais que estão ao redor do buraco negro supermassivo Sagittarius A*. Ele está no centro da Via Láctea, e os cientistas estimam que tenha uma massa equivalente a 4 milhões de sóis.

centro-da-via-lactea_2

Com esse registro, os cientistas querem desvendar a Teoria da Relatividade de Albert Einstein a partir dos trajetos orbitais da estrela S2, que passa ao redor do buraco negro (como no vídeo). Em 2018, a S2 estará em seu ponto mais próximo ao buraco negro e será quando o Gravity conseguirá capturar as melhores imagens. Então nós teremos até lá algumas das respostas mais

Fonte: Aqui