Júpiter, é o quinto planeta a partir do sol, gigante de gás, e nem precisamos citar que ele é enorme!

É tão grande, na verdade, que ele realmente não orbitam o sol. Não exatamente. Com 2,5 vezes a massa de todos os outros planetas do sistema solar combinados, é grande o suficiente para que o centro de gravidade entre Júpiter e o Sol não reside dentro do sol – em vez disso, em um ponto no espaço acima da superfície do sol.

Veja como isso funciona:

Quando um pequeno objeto orbita um grande objeto no espaço, o menos massivo realmente não viaja em um círculo perfeito em torno do maior. Em vez disso, os dois objetos orbitam um centro comum de gravidade.

Em situações que estamos familiarizados – como a Terra orbitando o Sol que é muito maior – o centro de gravidade reside tão perto do centro do objeto maior que o impacto deste fenômeno é desprezível. O objeto maior não parece se mover, e um menor desenha um círculo (orbita) em torno dele.

Mas a realidade é sempre mais complicada.

Por exemplo: Quando a Estação Espacial Internacional (ISS) orbita a Terra, tanto a Terra quanto a estação espacial em órbita tem seu centro combinado de gravidade. Mas que o centro de gravidade é tão absurdamente perto do centro da Terra que o movimento do planeta ao redor do ponto é impossível de detectar – e a ISS descreve um círculo quase perfeito ao redor de todo o planeta.

A mesma logica se aplica quando a maioria dos planetas orbitam o sol. Sol é muito maior que a Terra, Vênus, Mercúrio, Saturno, etc.. todos os seus centros de massa com o sol estão profundamente dentro da própria estrela.

Não é assim com Júpiter.

O gigante de gás é tão grande que seu centro de massa com o sol, ou baricentro, na verdade reside 1,07 raios solares a partir do meio do sol. Tanto o Sol quanto Júpiter orbitam em torno desse ponto no espaço.

Este gif não representa a escala real, mas ilustra o efeito:

O circulo maior é o Sol e o menor é Júpiter. Perceba que o ponto menor não faz um circulo perfeito ao redor do Sol, em vez disso um gira em torno do do outro.


 Isto é, em essência, como Júpiter e o sol se movem pelo espaço juntos – embora as distâncias e tamanhos são muito diferentes. Júpiter ainda é apenas uma fração do tamanho do sol.

Mas da próxima vez que alguém lhe pergunta para um fato espacial louco você vai saber: Júpiter é tão grande, que não orbita o sol.

Fonte: IFLSCience