Confira o registro da nebulosa do Caranguejo

Em 1054, os observadores chineses ficaram entusiasmados quando uma estrela brilhante apareceu de repente no céu. Foi quatro vezes mais brilhante que Vênus, e também era visível à luz do dia, ficando assim por durante três semanas. O que a humanidade estava presenciando era uma supernova, que hoje, forma a famosa nebulosa do Caranguejo.

Localizada na constelação de Touro 6.500 anos-luz da Terra. Você provavelmente já viu a famosa da nebulosa do Caranguejo. E agora o telescópio Hubble conseguiu em registrar a agitada estrela que gira no centro dessa nebulosa. É tão rápida, que completa 30 voltas em seu eixo por segundo. Para conseguir isso, os astrônomos tiveram que sobrepor centenas de fotos tiradas em momentos diferentes, por cerca de dez anos, formando uma espécie de timelapse.

Esta imagem (que mede cerca de 3 anos-luz de diâmetro) mostra a estrela de nêutrons brilhante – o remanescente da supernova – chamada Pulsar do Caranguejo. Na imagem, é uma das duas estrelas brilhantes perto do centro, a direita, logo abaixo, que forma um oval. Entenda o que é uma estrela de nêutrons aqui.

A forma oval é o resultado do rápido movimento de materiais nas proximidades causada pela estrela de nêutrons. “Ele está liberando grandes quantidades de energia que estão sendo empurrados na nuvem espalhando detritos dentro da supernova”, disse a NASA.

Em outras partes da imagem, você verá um monte de tom vermelho. Este é o gás ionizado, ou plasma, que está girando em torno dessa região do espaço. E em torno da estrela de nêutrons é um brilho azul que, segundo a ESA, é “radiação emitida por elétrons em espiral no poderoso campo magnético em torno da estrela a velocidades próximas à da luz”.

Confira a foto da nebulosa do Caranguejo

nebulosa_do_carangueijo_capa

Fonte: Info Escola, Space Telescope