Em 1986, quando a sonda Voyager 2 passou por Urano, detectou dez luas previamente desconhecidas que orbitam o gigante gasoso. O total de luas de Urano é atualmente 27, mas se a análise por cientistas planetários da Universidade de Idaho, Moscovo, estiver correta, Voyager perdeu duas luas durante o seu vôo histórico.

Reexaminando os dados da Voyager, os cientistas planetários Rob Chancia e Matthew Hedman notaram que dois dos anéis de Urano, Alfa e Beta, tinham um padrão ondulado. Anteriormente os cientistas observaram ondulações semelhantes nos anéis causadas por duas outras luas do planeta, Cordelia e Ofélia. A gravidade destas duas luas, forçam a poeira e partículas dos anéis estreitos a variarem-se.

Os investigadores acreditam que estas últimas variação nos anéis tem uma fonte semelhante: mais duas luas em torno de Urano!

“Estas luas são muito pequenas”, diz Chancia Croswell; Na verdade, se elas existem então tem entre 2,5 e 8,5 milhas de diâmetro. As luas são tão pequenas que mesmo que as câmeras da Voyager 2 tivesse buscada-as, elas foram provavelmente apenas considerado o ruído de fundo. Mesmo assim, como Croswell aponta, duas das luas de Saturno são ainda menores.

uranus-png__800x600_q85_crop

Se as luas não aparecem durante as próximas observações, a opção final será pôr uma sonda para visitar os planetas distantes. Se a NASA fizer luz verde para uma missão, ela provavelmente não vai sair do chão até o final dos anos 2020 ou início dos anos 2030.

Fonte Smithsonian