Na madrugada de hoje (05) a sonda Juno da NASA entrou com sucesso na órbita do gigante gasoso.

O momento incrível põe fim a uma caminhada de 5 anos e 2,8 bilhões de km que Juno precisou percorrer pelo Sistema Solar. A sonda, que funciona somente com energia solar, a primeira nave espacial a fazer isso tão longe da Terra, vai agora começar a sua impressionante missão científica em Júpiter.

“O Dia da Independência é sempre algo para comemorar, mas hoje podemos adicionar ao aniversário da América outra razão para torcer – Juno está em Jupiter”, disse o administrador da Nasa, Charlie Bolden em um comunicado. “E o que é mais americano do que uma missão da NASA indo audaciosamente indo onde nenhum nave espacial tem ido antes?”

A inserção orbital havia sido um pouco de arrepiar os cabelos, como Juno estava passando por uma área de Jupiter cheia de radiação e detritos que poderiam ter danificado algo que fosse irreparavel. Lá por 00:30, Juno começou uma queima de 35 minutos do combustível de  seus motores para tentar desacelerar o suficiente para poder entrar em órbita. Felizmente, essa manobra ocorreu sem problemas.

“A NASA conseguiu de novo”, Scott Bolton, investigador principal do Juno, disse em uma conferência de imprensa e obteve altos aplausos.

A equipe de Juno celebra a inserção orbital bem sucedida. Robyn Beck / AFP / Getty Images

Juno traz Júpiter para mais perto do que qualquer outra nave espacial fez antes, em uma órbita altamente elíptica que fica alguns milhares de quilômetros do topo das nuvens.

Esta órbita inicial leva 53 dias para Juno a oscilar em torno do planeta, mas em 19 de outubro ele será movido para uma órbita muito mais curta de 14 dias. Aqui, ele vai começar suas operações científicas, usando seus instrumentos para olhar dentro Júpiter e descobrir do que é feito. Os cientistas esperam descobrir se Júpiter tem um núcleo rochoso ou não. E medindo seu conteúdo de água, eles vão discernir se formou em sua posição atual, ou mais longe no Sistema Solar – que tem implicações para a formação de nosso próprio planeta.

No total, Juno irá completar 37 órbitas de Júpiter antes de ser enviado para colidir com a atmosfera em fevereiro de 2018, para impedi-lo de bater e contaminar uma das luas. Mas além dos instrumentos científicos, Juno também tem uma câmera para o envolvimento público, e vai levar um grande número de imagens impressionantes ao longo do curso de sua missão. Você pode votar para decidir aonde ela deve fotografar no site Juno da NASA.

Fonte: IFLS