Cientistas alertam que o planeta caminha para um  “apocalipse ecológico” com profundos impactos na sociedade humana, nos últimos 25 anos, houve um declínio de 75% na população de insetos voadores.

A pesquisa, publicada no Plos One,  se baseia no trabalho de dezenas de entomólogos amadores que usam rigorosos padrões de coletas de insetos desde 1989. Os dados foram adquiridos de reservas naturais na Alemanha, mas seus resultados podem ser aplicáveis a qualquer região dominada pela agricultura, segundo informações do Guardian.

A queda foi revelada ao pesar o total de insetos capturados, revelando que, no período de 27 anos, houve um declínio de 76% — que foi ainda pior durante o verão, com 82%.

A pesquisa capturou ainda moscas e vespas, que são raramente estudadas, tornando este um forte indicador do declínio populacional dos insetos.

Caspar Hallmann, da Universidade Radbound, na Holanda, explica que tudo é muito preocupante, especialmente quando se atenta ao fato que todas as amostras foram coletadas em áreas de proteção ambiental, “E ainda assim este grande declínio ocorreu”, diz.

Os cientistas não sabem definir as razões que causam a diminuição no número dos insetos, mas suspeitam que a mudança climática e o constante e generalizado uso de pesticidas sejam os importantes fatores na equação. Hans de Kroon, pesquisador da Universidade Radboud, classifica a situação como alarmante. Segundo o professor Dave Goulson, da Universidade Sussex, no Reino Unido, “parece que estamos tornando inóspitos grandes pedaços de terra para diversas formas de vida”, disse. “Estamos em curso para um apocalipse ecológico. Se perdemos os insetos todo o resto entrará em colapso”.

Além dos insetos, dados climáticos detalhados também foram coletados durante os períodos, mas nem isso explica o declínio de insetos. “O clima pode até explicar as muitas flutuações dentro de uma estação climática e entre os anos, mas não explica este rápido declínio”, diz Martin Sorg, líder dos entomólogos amadores da Sociedade Entomológica da Alemanha.

Os cientistas alertam pela necessidade de estudar as descobertas em outras regiões e explorar o problema em maiores detalhes. “Precisamos fazer menos do que sabemos que causam um impacto negativo, como o uso de pesticidas e o desaparecimento de divisas naturais de fazendas”, diz De Kroon.

A importância ecológica destes insetos voadores é tremenda, e seu número total é importante. Eles polinizam flores e providenciam alimento para animais, além de controlar pestes, explica a pesquisadora que não fez parte do estudo Lynn Dicks, da Universidade de East Anglia, ao Guardian. “Se a biomassa total de insetos voadores está genuinamente caindo a este nível – cerca de 6% ao ano – é extremamente preocupante”, disse.

Fonte: Guardian

Carregando...