O Observatório Europeu do Sul (ESO) contribui para a astronomia e para ciência de forma inimaginável, contando com equipamentos de ponta utilizados para a descoberta de planetas extrassolares, objetos celestes, nebulosas, estrelas e galáxias. Sendo assim, nossa missão é mostrar para você um pouco sobre os principais instrumentos utilizados por essa gigante colaboradora da astronomia, vamos lá?

A ESO opera três observatórios na região do deserto do Atacama, no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. O La Silla está localizado a uma altitude de 2400 m, 600 km a norte de Santiago no Chile e é responsável por acolher vários telescópios óticos com espelhos de diâmetros que vão até os 3,6 metros. No La Silla, dentre muitos equipamentos para coleta de dados, o principal instrumento de pesquisa é o HARPS (High Accuracy Radial velocity Planet Seacher), o espectrógrafo considerado o maior responsável pela descoberta de planetas extrasolares (planetas que orbitam outros sóis diferentes do nosso) no Mundo, com uma precisão sem precedentes.

O observatório localizado no Paranal está em segundo lugar no ranking de produtividade em dados direcionados à astronomia feita a partir do solo, localizado a 2600 m de altitude. É neste observatório que encontramos o Very Large Telescope (VLT), padrão de referência da astronomia europeia.

Very Large Telescopy (VLT), Paranal, Chile.

Confira algumas das imagens registradas pelo VLT.

Nebulosa Ômega (Messier 17) localizada a 6500 anos-luz.

Galáxia espiral NGC 986 situada na constelação de Fornalha.

Grande nuvem de Magalhães (NGC2035)

A ESO também conta com o ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array), que se trata do maior projeto de astronomia terrestre existente. É uma infraestrutura revolucionária na astronomia mundial.


Antenas do Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), no planalto do Chajnantor nos Andes chilenos.

Se trata de uma rede de 66 antenas gigantes, de 12 a 7 metros de diâmetro, que observa na região das ondas de rádio milimétricas e submilimétricas. O ALMA começou as observações científicas em 2011 e foi inaugurado em 2013. O ALMA se encontra no Llano de Chajnantor, a 5000 m de altitude – o que o torna um dos telescópios astronômicos mais altos do mundo.


Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA)

O Observatório Europeu do Sul é observatório terrestre mais produtivo do mundo, o que equivale a muitas publicações em revistas especializadas com arbitragem científica: somente em 2013 foram publicados mais de 800 artigos baseados em seus dados. Adicionalmente, os artigos científicos baseados em dados do VLT são, em média, citados duas vezes mais que o normal. Estes dados são guardados no Arquivo Científico permanente que se situa na sede do ESO, na Alemanha. O arquivo contém mais de 1,5 milhões de imagens e espectros, ou seja, um volume total de 65 terabytes, o que corresponde ao conteúdo de cerca de 30 milhões de livros de 1000 páginas cada um, ou seja, este acervo equivale a quantidade de livros que ocuparia mais de 1000 quilômetros de estantes.

Fonte e Imagens: http://www.eso.org/

Carregando...